quarta-feira, 24 de março de 2010

A ligação....!




De bobeira...falando sobre qualquer coisa que passa na vida...despretensiosa a qualquer acontecimento novo...e eis que ouço uma músiquinha conhecida.....e a surpresa toma conta do momento....era o celular...e no visor aparecia o nome DELE...o coração bateu apressado...surgiu por milésimos de segundos a pergunta: atender ou não atender?.....e porque não atender?!.....Atendi....a voz dele estava diferente...determinada a alguma coisa....e eu eufórica, atordoada....feliz!!! Ele começou a conversa como quem não quer nada...apenas saber como anda a vida....eu queria mesmo era saber “em qual rua minha vida vai cruzar a sua”.....e a conversa foi tomando forma...acho que se lembrou da minha profissão e decidiu “tomar” uns conselhos....ou simplesmente fazer um desabafo....disse em medo de mudanças...e nesse momento eu pensei: será eu a mudança?.....que audácia a minha pensar coisa assim...mas porque não pensar também?......a conversa durou longos 15 minutos e após fechar o celular ainda pensei em voz alta: vou mandar a conta da sessão amanhã mesmo....na verdade depois de todas aquelas palavras eu é quem deveria correr para o divã....deveria ouvir o que Lacan tem pra me dizer.....eu é que sou medrosa....não ele como me afirmou em nossa conversa....eu é que sou fraca...... não ele como disse várias vezes durante nossos eternos quinze minutos ....uma frase forte dita por ele foi: eu tenho medo de quebrar a cara...eu me mantive firme....respondi que isso faz parte da vida...que é assim que a gente aprende...quem tem medo de quebrar a cara sou eu cara-pálida!.....em nossa conversa, por algum motivo que eu não me lembro o que veio antes, ele disse: te vi na rua...você está linda....o que veio depois disso eu sei...fui um suspiro apertado da minha parte...foi uma vontade de explodir e ao mesmo tempo me conter....me esconder...me achar?!......então veio a pergunta que não queria calar: e como anda seu namoro?....Silêncio do outro lado da linha... pois é...disse em tom desanimado....essa é outra coisa que não consigo mudar.....quero...mas tenho medo...medo de não saber me adaptar a outra pessoa....algo na minha cabeça gritava: diga à ele que você terá paciência...que você saberá fazer vê-lo que a mudança pode ser prazerosa....mas o supereu foi bem mais forte...e eu simplesmente disse: é...fácil não é, mas é possível....eu tinha uma mistura de decepção...de dúvida....de saudade...de tristeza...e de medo também...!!!! Ainda penso no por que da ligação....ainda questiono pra mim mesma se o melhor é lutar por ele....ainda quero...e no minuto seguinte já não quero mais!!!!.....quero estar com ele...mas não quero salvá-lo....não quero salvar mais ninguém....quero que alguém me salve...afinal já dizia Lacan que é preciso uma falta, um lugar vazio para o outro entrar, que a mulher precisa ter uma fraqueza para que o homem possa se interessar por ela e assim satisfazer seu ego de ser indispensável na vida do outro...sendo assim...meu vazio tá aqui....escancarado...a céu aberto...quem precisa de salvação agora sou EU!

“Venha quando quiser, ligue, chame, escreva - tem espaço na casa e no coração, só não se perca de mim.”


“...e eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz. A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com a praia do Espelho e com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida. E você me olha com essa carinha banal de "me espera só mais um pouquinho". Querendo me congelar enquanto você confere pela centésima vez se não tem mesmo nenhuma mulher melhor do que eu. E sempre volta.Porque, quando você está com medo da vida, é na minha mania de rir de tudo que você encontra forças. E, quando você está rindo de tudo, é na minha neurose que encontra um pouco de chão. E, quando precisa se sentir especial e amado, é pra mim que você liga. E, quando está longe de casa gosta de ouvir minha voz pra se sentir perto de você. E, quando pensa em alguém em algum momento de solidão, seja para chorar ou para ter algum pensamento mais safado, é em mim que você pensa. Eu sei de tudo." (Tati Bernardi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário