terça-feira, 23 de março de 2010

Principe em um castelo encantado!







Há algum tempo escrevi esse texto e armazenei em meus arquivos, hoje procurando sei lá o que pela pasta esquecida o achei......relendo vários sentimentos e lembranças vieram à tona.....! postar pensei de cara...e tá aí entaum:



Ela passou o dia todo esperando a noite chegar, afinal ele perguntou na noite anterior que horas ela saia do trabalho, e se fez uma pergunta dessas é porque certamente voltaria para vê-la. Ela explicou tudo nos mínimos detalhes: “se a última paciente vier sairei as 19:40h”. Isso mesmo, ela disse com precisão 19:40h. Então teria que esperar ele aparecer ou ligar confirmando sua ida até as 20:00h.
Ela passou todo o dia pensando nele, pensando na noite anterior, ficava lembrando cada palavra, cada olhar, cada respiração. Teve vontade (muita diga-se de passagem) de enviar um torpedo desejando-lhe um bom dia, mas conteve sua ansiedade, afinal a noite ele estaria em seus braços, em seu poder.
Ela tinha medo, tinha muito medo dele não estar disposto a se apaixonar, pois faziam apenas 4 meses que havia terminado um relacionamento de 6 ou seriam 5 anos?
Mas ele não tinha o direito de não querer nada com ela, pois foi ele quem a seduziu, ele quem olhou nos olhos dela de maneira avassaladora, ela estava até com outro homem nesse dia.
Foi ele quem se fez de amigo, conversou horas com ela sobre os mais variados assuntos. FOI ELE QUEM A BEIJOU. ELE! Como ousaria agora simplesmente querer só festinha com ela?
O trabalho teve um gosto diferente, ela queria trabalhar muito para que o dia passasse rápido. Para que a noite tão esperada chegasse logo. E chegou, mas e ele?
Ela olhou incessantemente para o celular (vai que estava distraída e não ouviu quando lhe chegou um torpedo).
Tomou um banho daqueles, usou o seu sabonete liquido esfoliante de figo para dias especiais, não que esse dia fosse especial, afinal já havia se deitado com muitos homens até então, o que era especial era ele. Lavou os cabelos deixando-os sedosos e perfumados.
Na hora de se vestir colocou um pijama, não era um pijama qualquer, era o mais bonito da loja, para que ele a achasse “fofa”. E vestir um pijama era um plano, afinal iria parecer: ah!oi, que boa surpresa, estava até de pijama já, entre...
As horas foram passando depressa, e nada do telefone tocar, pode estar sem sinal pensou ela, mas conferiu e não estava.
Mas ele disse que viria, dizer, dizer, não disse, mas insinuou...Por que ele não iria querer outra noite tão linda como a passada?
E deitada em sua cama pensando em cada palavra, cada olhar, cada respiração da noite anterior, ela adormeceu, adormeceu e sonhou, sonhou com um castelo encantado, e dentro desse castelo, em seu quarto real dormia um príncipe que adoraria fazê-la feliz para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário